╠ GeekTrooper ╣

Cultura Geek e Nerd ao alcance de todos.

American Gods começa magistralmente pintando retrato dos EUA

Espero por American Gods desde 2011, quando Neil Gaiman declarou que a HBO tinha interesse em adaptar seu livro para a TV. De lá para cá, a ideia passou por diversas produtoras, se transformou em projeto de filme, voltou a ser série e finalmente chegou nas telinhas do Starz. A expectativa era alta, afinal o livro é um dos meus favoritos da vida. E Bryan Fuller (junto de Michael Green) me entregou tudo que era esperado.

Fuller optou por não mostrar muito da premissa da série — preferiu, à sua maneira estilizada, causar uma curiosidade misturada com estranheza nos espectadores. Muita estranheza. Uma escolha ousada para uma época onde o público julga se algo vale a pena ser assistido de forma bem rápida e definitiva. Apesar de não apresentar muito dos elementos fantásticos do livro homônimo de Neil Gaiman, o showrunner pinta um retrato dos EUA que será fundamental para estabelecer a narrativa futura que veremos nos próximos episódios.

Logo nas primeiras cenas, Fuller nos mostra que a América como um todo foi formada na base de sangue (muito, muito sangue. Muito mesmo.) e que a guerra está no cerne do país. Apesar da extrema brutalidade dessa sequência, algum tempo depois o roteiro traz umas pinceladas mais otimistas e mostra que, apesar de tudo isso, a América foi fundamentada nas diferentes culturas que chegaram lá — uma mensagem poderosa em uma época onde a xenofobia está presente ao redor do mundo e chegou a ser praticamente institucionalizada no governo Trump.

american-gods-wednesday-shadow

Essa ideia da miscigenação cultural que construiu o país é transmitida principalmente pela trilha sonora, que traz faixas como uma versão “Where Did You Sleep Last Night?”, de Leadbelly (e popularizada posteriormente pelo Nirvana) — uma canção do tempo dos escravos africanos; “Torture”, de Kris Jensen — um cantor popular dos anos 60, que traduziu o “sonho americano” em suas canções e “Iko Iko”, do The Dixie Cups — uma banda formada por mulheres negras na época em que a segregação racial nos EUA era uma realidade constante.

Visualmente, Bryan Fuller emprega seu estilo na série: ele quer deixar claro que aquilo é uma fantasia. Mesmo com bastante crueza nas cenas de violência, todo o resto tem uma estética lúdica, quase saída de um conto de fadas (ok, um bem dark) em alguns momentos. Se fosse possível definir, poderíamos dizer que ele pegou as cores de Pushing Daisies, misturou uma pitada do dark de Hannibal e emprestou de Tarantino uma brutalidade cartunesca para as cenas de luta.

teaser-deuses-americanos-mad-sweeney

Já na atuação, Ian McShane rouba a cena como o Mr. Wednesday — meio indiferente com o mundo, meio malandro e totalmente golpista. Ricky Whittle também entrega um Shadow Moon digno, com um peso no rosto e uma raiva reprimida no olhar. Outro destaque vai para Yetide Badaki, como Bilquis, que protagoniza uma cena que eu pensava que seria impossível de se adaptar visualmente — aliás, falando em adaptação, a série conseguiu atualizar para os dias de hoje alguns elementos que eram contemporâneos em 2001, quando Gaiman lançou o livro.

Pelo estilo de Fuller e a brutalidade da série, American Gods pode não ser um grande sucesso em termos de audiência e provavelmente não vai ser “a nova Game of Thrones” como algumas pessoas diziam por aí. Mas a série está adaptando e atualizando seu material fonte de uma forma magistral, não tendo medo de transmitir uma mensagem política (que também está presente no romance original) clara e tomando algumas decisões que não vemos todos  os dias nas séries de TV.

Estou bem ansioso para ver mais. Por favor!

Fonte: American Gods começa magistralmente pintando retrato dos EUA – Jovem Nerd

Anúncios

Sobre Grahall

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 02/05/2017 por em Cinematofilia e marcado .

Blogs que sigo

Categorias

Side Quest

O canal que trata a cultura pop como missão principal

taverna42.wordpress.com/

O site mais geek que você já viu!

hqrock

Quadrinhos, música e afins

The Amazing Nerd

Simplesmente Espetacular

TI e Tendências Web

games mobile redes sociais segurança tendências

NERD GEEK FEELINGS

Notícias, resenhas, opiniões e comentários sobre o mundo do entretenimento

╠ GeekTrooper ╣

Cultura Geek e Nerd ao alcance de todos.

Arte & Ação

O universo começa dentro de nós.

Sphera Geek

Beta 2.0

Clube do Imperador

Conhecimento, Entertenimento e Cultura Pop!!

%d blogueiros gostam disto: